A importância da utilização de premissas no Gerenciamento de Projetos

Podemos definir as premissas como hipóteses, condições que assumimos como verdadeiras para o projeto. São fatores que, para propósitos de planejamento consideramos como certas, reais e seguras. Devem ser específicas, precisas e claras. O Gerente de Projeto não necessita comprovar que são verdadeiras, são afirmações que defino necessárias para a execução do projeto.

Devem ser validadas pelos stakeholders do projeto e resguardam ao gerente de projetos. É importante identificar desde o início do projeto o maior número possível delas e documentá-las.

Em determinados projetos formam parte da proposta ou do contrato assinado pela empresa executora com o cliente. Uma leitura detalhada deste documento permitirá identificar grande parte delas. Pode-se realizar brainstorming com a equipe para detectar outras não previstas.

O cliente aprovar o Estudo de Viabilidade antes do início do projeto.

– O cliente deverá disponibilizar a área de trabalho da equipe até 21/08/2010.

– O fornecedor disponibilizará o produto em até 24 horas a partir da entrada da solicitação do cliente.

– O cliente deverá comunicar os dias não serão trabalhados com uma antecedência mínima de 48 horas.  

Preciso documentar detalhadamente estas premissas como condições verdadeiras para a execução do projeto. Alguns exemplos são:

O cliente aprovar o Estudo de Viabilidade antes do início do projeto. 

– O cliente deverá disponibilizar a área de trabalho da equipe até 21/08/2010. 

– O fornecedor disponibilizará o produto em até 24 horas a partir da entrada da solicitação do cliente. 

– O cliente deverá comunicar os dias não serão trabalhados com uma antecedência mínima de 48 horas.   

Onde está o perigo de uma má definição destas premissas? Premissas não identificadas ou não documentadas poderão ocasionar problemas no decorrer do projeto.

 Estas suposições geram um  risco que deverá ser mapeado e controlado. Então, onde vamos analisar se as premissas definidas não se cumprirem? No Gerenciamento de Riscos.

Ou seja, precisarei definir quais serão as ações de mitigação, transferência, contingência ou assumir o risco caso não sejam cumpridas.

Se o cliente não disponibilizar a área de trabalho na data prevista, o que faremos?… assumimos o atraso do projeto, preparamos uma área alternativa, etc.

Portanto, as premissas são fundamentais para nos permitir garantir a execução do projeto. Quanto mais completa seja nossa Declaração de Escopo com as premissas, estaremos mais resguardados das possibilidades externas que podem afetar nosso projeto.

2 comentários sobre “A importância da utilização de premissas no Gerenciamento de Projetos

  1. Acho que o fator mais importante do registro de premissas é o fato de que determinadas premissas geram Riscos ao projeto e, por sua vez como forma de responder a esses riscos, eu gero restrições. Gosto muito do exemplo do Vargas e utilizo sempre quando quero deixar claro os conceitos. Ou seja:

    1) Premissa: Vai chover no dia da festa (não consigo provar)
    2) Risco: Os convidados ficarem molhados (se acontecer, o resultado será este)
    3) Restrição: A casa deverá ter cobertura para proteger os convidados da chuva (cubro o risco gerando uma restrição no escopo do projeto; ou seja, ao verificar a casa para realizar a festa, ela necessita ter cobertura para proteger os convidados).

    Grande abraço e parabéns pelo blog.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s